Jardinagem contra o estresse

Além do combate frontal à covid-19, uma das questões que começam a ocupar os especialistas em saúde pública diz respeito aos efeitos que a pandemia pode causar à mente. Em meio às muitas incertezas e às poucas certezas, o medo e a confusão invadiram o nosso cotidiano, o que já começa a provocar um aumento significativo nas taxas de ansiedade e de depressão, e não é sem motivo.

Com o isolamento social, estamos impedidos de realizar grande parte daquilo que nos proporciona alegria e que nos dá propósitos de vida. Assim, sem o papo com os amigos do bar, sem fazer os exercícios na academia, sem frequentar a igreja, entre as tantas outras atividades que oferecem prazer e realização às pessoas, elas perderam importantes válvulas de escapes para as tensões diárias. Contudo, há uma alternativa bastante simples, que pode nos ajudar a enfrentar esta situação.

Jardinar estimula o humor

De acordo com estudo Is gardening associated with greater happiness of urban residents? (A jardinagem está associada com maior felicidade de moradores urbanos?), cuidar de um pequeno jardim pode funcionar como um excelente estimulante para o humor. Os resultados foram publicados recentemente na revista científica Landscape and Urban Planning.

Segundo os pesquisadores, mesmo praticada em espaços restritos, como os de um apartamento, a jardinagem pode ser até mais benéfica para o humor do que caminhar ou fazer compras, por exemplo.

Fonte: Graham Ambrose, Kirti Das, Yingling Fan, Anu Ramaswam

Embora todos os tipos de jardinagem sejam bons para sua saúde mental, o estudo também constatou que as pessoas que cultivam hortas e que produzem seus próprios alimentos demonstraram satisfação maior do que as cultivam apenas jardins com flores ou plantas decorativas.

Bem-estar

O estudo teve como base um levantamento realizado entre 2016 e 2017 junto a 370 adultos das cidades de Minneapolis e Saint Paul, no Minnesota, Estados Unidos. Cada um deles recebeu um aplicativo no celular, que permitia registrar aleatoriamente o que sentiam durante as atividades praticada. De acordo com uma escala de satisfação, que considerava duas emoções positivas — felicidade e significado — e quatro negativas — dor, triteza, fadiga e estresse —, foi possível obter os dados que foram lançados utilizados em uma equação destinada a obter o índice de bem-estar dos participantes.  

No resultado, a jardinagem se posicionou perto do topo na escala de bem-estar, com índice muito próximo de atividades como caminhar, andar de bicicleta e comer fora. A única atividade que obteve pontuação significativamente maior do que a jardinagem foi a mais abrangente, que considerava “outro lazer” – que pode incluir qualquer coisa, desde assistir a um filme até socializar com os amigos.

Pequenos espaços

Outro ponto de destaque do estudo está na constatação de que é possível obter grande satisfação a partir da jardinagem em pequenos espaços — como na varanda do apartamento ou sobre o parapeito de uma janela. Esta conclusão levou os autores a aconselharem aos formuladores de políticas urbanas que pensem na jardinagem no contexto das discussões sobre como tornar as cidades mais habitáveis.

Mesmo em espaços reduzidos, a jardinagem proporciona grande satisfação

“Há muito mais pessoas praticando a jardinagem do que pensamos e parece que isso se associa a níveis mais altos de felicidade, como caminhar e andar de bicicleta. No movimento para tornar as cidades mais habitáveis, a jardinagem pode ser uma grande parte da melhoria da qualidade de vida”, diz a também engenheira ambiental Anu Ramaswami, uma das autoras do estudo. Para Anu, este aspecto é tão importante que os financiamentos de projetos de bem-estar deveriam considerar a jardinagem doméstica com especial atenção.

Interesse crescente

A jardinagem parece estar em alta durante a pandemia de coronavírus. O Google revela que a busca pelo assunto triplicou neste período, numa comparação com os mesmos meses de anos anteriores. Nos Estados Unidos, as empresas de sementes já começam a ter dificuldades para acompanhar os novos pedidos, o que corrobora este interesse por parte da população.

De fato, a preocupação com as cadeias de suprimento de alimentos está entre os principais motivos deste fenômeno. Contudo, não é bastante possível que a necessidade de praticar em casa uma atividade que é típica de áreas externas esteja colaborando com a crescente busca por informações na área.

De qualquer forma, para sair do estresse que a pandemia está causando, não custa nada pegar um punhado de terra, algumas sementes e vasos — ou mesmo aqueles potes de sorvete vazios — e partir para a jardinagem.