Responsáveis por várias doenças, refrigerantes também afetam a saúde bucal

Para muitos, é o refrigerante é uma delícia, indispensável ao dia a dia. Porém, já não é de hoje que o consumo de bebidas açucaradas vem sendo a associado a uma série de doenças. Entre as de maior destaque estão os cânceres, a diabetes, os problemas cardiovasculares, a osteoporose e as doenças bucais.
Mais do que isso, de acordo com um estudo realizado pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, o risco de ocorrer morte prematura é maior, quanto maior é o consumo de bebidas açucaradas. No estudo, comparado com quem bebia menos de uma lata desse tipo de bebida por mês, o consumo de uma a quatro latas por mês estava associado a um risco aumentado de 1%; duas a seis por semana com um aumento de 6%; uma duas por dia com um aumento de 14%  e duas ou mais por dia com um aumento de 21%.
O estudo considerou dados de 80.647 mulheres, levantados entre 1980 e 2014, e de 37.716 homens, levantados entre 1986 e 2014.

Bilhões de litros

Entretanto, mesmo diante das constatações científicas, o consumo de refrigerantes no mundo vem crescendo. Segundo o Euromonitor International, instituto de pesquisa de mercado, o consumo médio de refrigerantes por pessoa no mundo subiu de 84,1 litros, em 2013, para 91,9 litros, em 2018.
O Brasil, por sua vez, vem na contramão desta tendência. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e das Bebidas não Alcoólicas (Abir), a produção de refrigerantes caiu de pouco mais de 16 bilhões de litros ao ano, em 2013, para pouco menos de 13 bilhões de litros, em 2018, o que aponta uma redução proporcional também no consumo.
Contudo, quantidade de bebidas açucaradas ainda consumidas no país contrariam as conclusões do estudo de Havard. “Nossos resultados fornecem suporte adicional para limitar a ingestão de bebidas açucaradas e substituí-las por outras bebidas, de preferência água, para melhorar a saúde e a longevidade”, disse Vasanti Malik, coordenador do estudo de Havard,  nas conclusões do trabalho.

Danos à saúde bucal

Reconhecidamente, as bebidas açucaradas, com destaque para os refrigerantes que são as mais consumidas, contribuem de maneira decisiva para a ocorrência de problemas na boca. O fato se deve a acidez desse tipo de bebida, que pode causar a desmineralização do esmalte do dente e contribuir para a formação da cárie dental. Em casos extremos, o esmalte desmineralizado combinado com escovação inadequada, com a ocorrência de bruxismo — que é o hábito de ranger os dentes — ou com outros fatores pode, inclusive, levar a perdas na dentição.

Os refrigerantes aumentam a acidez da boca, contribuindo para a desmineralização dos dentes

Também é importante considerar que mesmos os refrigerantes sem adição de açúcar contêm alta concentração de substâncias ácidas. De fato, a ausência do açúcar é um fator positivo, mas os riscos para a dentição permanecem, o que torna preferível o consumo de água, sempre que possível.

As recomendações dos dentistas insistem para que a higiene bucal seja realizada de maneira regular, considerando a necessidade do uso de creme dental fluoretado e do fio dental. Diante do consumo de bebidas açucaradas, esse cuidado deve ser aumentado, evitando que o aumento de acidez se prolongue por muito tempo na boca.

Oferecimento