O vinho na ceia de Natal

por Ana Borges*

Quando pensamos em um grande festim, sempre pensamos em vinhos. Por isso, neste mês, decidi dar uma pausa na exploração do mundo vínico aqui na coluna para falar sobre um assunto que será muito útil neste final de ano: a harmonização.

Muitas famílias não fizeram suas tradicionais celebrações de Natal em 2020 pelo medo da Covid-19, mas, agora que estamos quase todos vacinados, já vislumbramos as reuniões para as festas de fim de ano. Então, como o consumo de vinhos no Brasil subiu perto de 30% durante a pandemia, imagino que muitos estejam considerando servir vinhos com a ceia pela primeira vez. Pensando nisso, preparei esse guia de harmonização entre vinhos e comidas natalinas.

Espumantes

Espumantes são uma bebida curinga. Por terem alta acidez, vão muito bem com alimentos intensos e gordurosos, como nosso leitão natalino. Por outro lado, seu sabor é leve e delicado, o que favorece alimentos também leves, como saladas, peixes e aves.

O Adolfo Lona Brut, sem açúcar perceptível ao paladar, vai bem com todas as fases de uma refeição — menos a sobremesa — e pode atender bem quando temos celebrações onde cada membro da família leva um prato.

Vinhos brancos

A velha máxima carnes brancas com vinho branco ainda é válida. Mas, aqui, precisamos ir além e pensar no peso do alimento junto com o peso do vinho, combinando também a intensidade de sabor.

O tradicional peru de Natal, se for servido sem molho, pode ir bem com um Chardonnay, os dois com textura e corpo, mas com sabor mais leve e delicado. Caso acompanhe um molho mais forte — como um molho de laranja —, podemos optar por um vinho mais intenso, como um Torrontés argentino.

Maso Di Mezzo Riesling x Sylvaner é outro curinga e vai super bem com comidas mais intensas, como entradinhas fritas ou tábuas de frios.

Rosés

Caso a ave venha acompanhada de molho de frutas vermelhas, aqui entra outra regra de ouro da harmonização: vinhos rosés com comidas rosas! Isso vale para embutidos, frutos do mar, salmão e para o uso de frutas também. O importante é o molho não ser muito doce, pois ele pode deixar o vinho azedo.

Tintos

Algumas famílias preferem servir pratos com carnes mais intensas no natal, e , aqui, novamente, temos a segurança da experiência: carnes vermelhas com vinhos tintos. Quanto mais intensa a carne, mais intenso terá que ser o vinho.

O vinho da uva Tannat, umas das que mais possuem taninos, vai super bem com um churrasco ou com uma costela assada lentamente. Cabernet Sauvignon e Malbec também são boas escolhas para carnes mais intensas. Merlot, por ser um pouco mais leve, acompanha bem filet mignon, que possui pouquíssima gordura.

Feudo Arancio Pinot Noir, um vinho tinto mais leve e delicado, fica bem com pratos de patos e outras aves de carne escura, além da harmonização típica com pratos com cogumelos.

Vinhos de sobremesa

Um bom Porto, Moscatel ou mesmo um colheita tardia são perfeitos para acompanhar a fartura de doces natalinos. O chileno Dalbosco Viognier Dolce Tardio fica fantástico com panetone ou sobremesas frutadas. Os espumantes Moscatel são adocicados e perfeitos para a sobremesa, especialmente as que levam frutas e doce de leite. O Porto, seja ele Tawny ou Ruby, vai muito bem com chocolate, intenso como ele. Já os vinhos brancos licorosos vão melhor com sobremesas à base de leite, como sorvetes, pudins e cheesecakes. O espanhol Pedro Ximenez é um néctar, que pode, inclusive, ser servido como calda sobre um sorvete de baunilha. Divino!

Não importa se forem espumantes, brancos, rosés ou tintos, tenha vinhos em sua mesa nesse Natal. Garanto que você não vai se arrepender!

* Ana é graduada em Gastronomia e mestre em Enologia

 


Colabore com a produção do Comunidade Ativa fazendo uma doação com qualquer valor.
Pelo Pix, use a chave 31996471004 ou clique no botão abaixo para contribuir usando cartão ou boleto.