Dicas para o seu planejamento financeiro em 2022

Que tal aproveitar esse início do ano para fazer um bom planejamento financeiro? Não tenha dúvidas de que esta é uma estratégia que só traz benefícios. Além de lhe ajudar a enfrentar com maior tranquilidade os compromissos de todos os meses, também pode favorecer a criação de uma reserva de capital, que possa ser usada quando vier o momento da aposentadoria, para realizar algum desejo ou para cobrir imprevistos que possam surgir.

Confira a seguir as dicas que o Comunidade Ativa preparou para você se planejar financeiramente em 2022.

Comece pelo levantamento das suas despesas

Será que você sabe exatamente quais são as suas despesas mensais? Essa é uma informação indispensável para quem deseja iniciar um bom planejamento financeiro. É a partir dela que você conseguirá entender não só o quanto está gastando, mas, principalmente, com o que está gastando. Com esse levantamento em mãos, você poderá identificar e separar os gastos que de fato são indispensáveis daqueles que podem ser reduzidos ou eliminados.

Hoje existem aplicativos que facilitam executar essa tarefa. Porém, para esse tipo levantamento não há a necessidade de nenhum programa sofisticado e, mesmo se você não tiver habilidade com o celular ou com o computador, é possível organizar as informações de maneira muito simples

Pra isso, basta anotar tudo em um caderno, cuidando para que cada item seja bem especificado. Entre outras, identifique as despesas com alimentação, roupas, água, luz, telefone, aluguel ou prestação do apartamento, prestação do carro, lazer e tudo mais. Até mesmo aquele lanchinho fora de hora deve ser anotado.

Com essas informações em mãos você poderá avaliar o que realmente é indispensável e cortar aquilo que não fará falta. Porém, ao fazer isso, lembre-se de que os sacrifícios exagerados podem não ser tão necessários.

Por exemplo, talvez baste controlar as saídas de final de semana, sem a necessidade de eliminá-las completamente. Por outro lado, excesso de condescendência com despesas supérfluas pode comprometer a suas finanças.

Ou seja, usando o bom senso, é possível preservar os momentos de descontração sem afetar o planejamento.

Defina gastos compatíveis que os seus ganhos

Essa é uma dica muito óbvia, mas que quem não segue um planejamento consistente acaba deixando de lado. Com isso, a pessoa acaba desvalorizando todo o empenho que teve para fazer jus aos próprios ganhos.

Afinal, para imensa maioria das pessoas, ganhar dinheiro implica em horas de trabalho, que exigem concentração e esforço, o que, muitas vezes, nem é prazeroso. Por outro lado, gastar é muito fácil e rápido, o que pode levar ao descontrole, e é aí que mora o perigo.

Afinal, sem um conhecimento preciso das próprias despesas, a pessoa corre o risco de gastar mais do que ganha, o que acaba criando ou aumentando as dificuldades. Portanto, tenha em mente que o limite dos seus gastos deve ser compatível com o seu ganho, e não com o limite do cartão de crédito ou do cheque especial.

Estabeleça metas

Todo bom planejamento exige que metas claras sejam estabelecidas. Elas podem ser mais ou menos ambiciosas, conforme a vontade de quem planeja, não importa. O que importa é definir um objetivo para o plano.

Por exemplo, há quem queira somente encontrar o equilíbrio financeiro e se livrar das dívidas, enquanto outras pessoas podem pensar em algo além disso, como fazer uma viagem ou comprar um carro. De qualquer forma, você sabendo qual ponto deseja chegar fica mais fácil definir as estratégias que deverão ser adotadas para alcançá-lo.

Seja realista

Sempre que for definir suas metas, faça isso com os pés no chão. Não há dúvidas de que os sonhos fazem parte da vida e, muitas vezes, são eles que levam às realizações. Porém, metas exorbitantes, principalmente as pensadas para curto prazo, podem levar a frustrações e desanimar na hora de dar sequência ao planejamento.

Isso, é claro, não significa que você tenha manter suas expectativas em níveis baixos. Pelo contrário. As metas ambiciosas ajudam a impulsionar as ações. Mas, tenha em mente que quanto mais ambiciosa for a meta, maior deverá ser o seu empenho para alcançá-la.

Evite o impulso

As compras impulsivas são grandes inimigas do planejamento financeiro, o que exige que você busque combate-las ao máximo. Procure sempre pensar com antecedência sobre aquilo que deseja comprar, o que deve ser feito considerando os seus ganhos.

A compra premeditada permite, inclusive, que sejam feitas pesquisas de preços e comparações de produtos e de condições de pagamento. Além disso, evita que sejam compradas mercadorias que, de fato, não são necessárias.

Não se esqueça dos juros

Na hora de planejar uma compra, fique de olho na cobrança de juros e na possibilidade dos descontos para pagamentos à vista. De fato, o parcelamento até facilita a compra no momento e, em caso de extrema necessidade, pode até ser considerado. Contudo, se houver algum desconto, por menor que seja, ele deve ser avaliado.

Saiba usar o cartão de crédito

Para quem sabe usar, o cartão de crédito pode ser um grande amigo do planejamento financeiro. Para que não sabe com certeza se tornará um feroz inimigo.

Se os gastos no cartão forem compatíveis com os ganhos da pessoa, ótimo. Como a fatura apresenta de forma detalhada as despesas do mês, ela pode ajudar bastante no controle dos gastos.

Outro ponto que pode ser um facilitador do planejamento é a possibilidade da compra parcelada. Desde que esta seja isenta de juros e, é claro, se as parcelas estiverem dentro do limite compatível com os ganhos e não prejudicarem o cumprimento das obrigações mensais, o parcelamento pode aliviar o orçamento, contribuindo para que o planejamento financeiro seja seguido.

Entretanto, o que para as pessoas disciplinadas é um facilitador, para quem não tem autocontrole, pode ser tornar um tremendo pesadelo. Quem compra descontroladamente no cartão sempre se surpreende com faturas indigestas e, o que é pior. Se elas não forem pagas integramente no vencimento, surge a cobrança dos juros sempre altos, dificultando ainda mais a quitação da dívida.

Então, fica o alerta: jamais o use o cartão de forma impensada, pague as faturas em dia e nunca ceda à tentação de parcelá-las.

Guarde dinheiro

Pense na seguinte possiblidade: você já tem as suas despesas sob controle, sabe como utilizar o crédito com consciência e estabeleceu metas consistentes. Não resta dúvidas de que, ao chegar a esse ponto, você já poderia experimentar alguma satisfação.

Contudo, não pense que o planejamento financeiro deva chegar somente a esse ponto de equilíbrio. Ao mesmo, não acredite que todo o domínio que você adquiriu sobre as própria finanças será capaz de, por si, evitar os imprevistos ou de afastar as tentações de consumo.

Pra isso, você terá que buscar uma forma segura de guardar o seu dinheiro. Só assim você conseguirá criar uma reserva que possa ser utilizada em momentos de maior necessidade ou para realizar algum daqueles grandes sonhos da vida.

 


Colabore com a produção do Comunidade Ativa fazendo uma doação com qualquer valor.
Pelo Pix, use a chave 43440241000164 ou clique no botão abaixo para contribuir usando cartão ou boleto.