4 golpes envolvendo o Pix

Na Semana de Segurança Digital, que se encerra nessa sexta-feira, 26, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) emitiu uma nota sobre golpes financeiros que estão surgindo na esteira do Pix, o novo sistema de pagamento instantâneo implantado pelo Banco Central. Segundo a Febraban, as instituições financeiras têm relatado ações fraudulentas de phishing, que são métodos utilizados para a obtenção de dados confidenciais das pessoas. De posse desses dados, os bandidos partem para outras ações criminosas.

Confira as fraudes que estão em curso.

1. Clonagem do WhatsApp

Neste golpe, o bandido tenta se passar pelo serviço de atendimento de alguma empresa na qual a possível vítima tenha cadastro. Por meio de uma mensagem pelo WhatsApp, ele solicita um código de segurança anteriormente enviado por SMS pelo próprio aplicativo, usando como justificativa a necessidade de atualização, manutenção ou confirmação de cadastro.

De posse do código informado o golpista consegue clonar uma conta de WhatsApp em outro celular. A partir do aparelho, o criminoso enviará mensagens para os contatos da vítima, pedindo transferências de dinheiro via Pix em nome dela.

Além de não passar qualquer código pelo aplicativo, habilitar a opção Verificação em duas etapas evita que ele seja clonado. Para tanto, basta seguir o caminho  Configurações/Ajustes > Conta > Verificação em duas etapas. Então, será possível criar uma senha que será solicitada periodicamente pelo WhatsApp.

Naturalmente, essa senha também não deve ser informada a outras pessoas ou digitadas em qualquer formulário recebido por meio de links.

2. Engenharia social com Whatsapp

Em outra modalidade o criminoso obtém a foto da vítima nas redes sociais e, após utilizar outros métodos fraudulentos para descobrir os telefones de contatos da pessoa, passa a assediá-los, dizendo que o número foi trocado. Na sequência, a ação golpista continua como na forma anterior, com pedidos de transferência de dinheiro via Pix.

Na nota, a Febraban chama a atenção para o cuidado que deve ser seguido na exposição de dados em redes sociais. Sorteios e promoções que pedem o número de telefone do usuário, por exemplo, na maioria das vezes têm por objetivo obter essa informação com intenções golpistas.

Caso você receba alguma mensagem de pessoa conhecida dizendo quer mudou o número, primeiro, procure se certificar se ela é verdadeira. Além disso, sempre suspeite de qualquer mensagem que peça dinheiro em caráter de urgência. Nunca faça o Pix ou outra transferência qualquer antes de confirmar a veracidade do pedido.

3. Falso funcionário de banco ou de centrais telefônicas

Nesta modalidade, o criminoso contata a vítima dizendo que é funcionário de um banco ou de uma empresa com a qual ela tem relacionamento. O objetivo seria oferecer ajuda no cadastramento da chave Pix. Em outra forma de abordagem, o fraudador afirma que o usuário deve testar o sistema para que o cadastro seja efetivado, induzindo a fazer uma transferência bancária.

A Febraban alerta: dados pessoais jamais são solicitados ativamente por instituições financeiras. Tampouco há funcionários de bancos encarregados de fazer testes com o Pix. Qualquer dúvida sobre o sistema deve ser esclarecida diretamente com o banco em que você tem conta.

4. Bug do Pix

O chamado bug é denominação de falhas que pode ocorrer em sistemas eletrônicos. Aproveitando da má intenção que muitas vezes está associada à ingenuidade de algumas pessoas, estão circulando mensagens e vídeos nas redes sociais afirmando que, em função de um bug no Pix, é possível obter o dobro de um valor transferido se a transferência for feita utilizando “chaves aleatórias”, que são informadas. Contudo, as tais chaves não são nada aleatórias e estão vinculadas a contas dos golpistas. Assim, o “esperto” que tenta obter vantagem do sistema acaba transferindo dinheiro para o bandido.

O Banco Central já informou que o Pix não sofre é passível de falhas do gênero. Além disso, é fundamental sempre desconfiar de quaisquer promessas de dinheiro fácil, principalmente daquelas que chegam por email ou pelas redes sociais.

Mantendo a atenção, é possível evitar os golpes e usufruir de toda a praticidade do Pix.

 


Colabore com a volta do Comunidade Ativa impresso, fazendo uma doação com qualquer valor.
Pelo Pix, use a chave casalbertorocha@gmail.com ou clique no botão abaixo para contribuir usando cartão ou boleto.