Pesquisadora indica técnica para acabar com o estresse com a ponta dos dedos

Imagine aliviar o estresse apenas dando toques com os dedos no corpo. Popularmente conhecido como tapping — que significa batendo, em inglês —, esse recurso denominado Emotional Freedom Techniques (EFT) — ou Técnicas de Libertação Emocional, na tradução — é objeto de pesquisa da psicóloga Peta Stempleton, que o utiliza há 15 anos. Peta e professora de Psicologia da Bond University, na Austrália, e, desde 2012, estuda técnicas alternativas e complementares de saúde.

“Comecei a aprender tudo sobre a técnica e pesquisei seu uso em ensaios clínicos por muitos anos. É comumente chamado de ‘tapping’ porque estimula pontos de acupressão (acupuntura sem agulhas) no rosto e no corpo com um suave processo de toque com dois dedos”, ela conta em artigo publicado no The Conversation.

Evidências

Segundo Peta, o número de evidências sobre os sucessos obtidos com essa abordagem simples para a redução do estresse tem aumentado exponencialmente. “Pesquisas mostram que o tapping é benéfico para desejos por comida, depressão, ansiedade, fobias e transtorno de estresse pós-traumático. O que é ainda mais interessante é que o tapping afeta a bioquímica do corpo, com efeitos sobre a imunidade e a pressão arterial. Apenas uma hora de batidas diminui o hormônio do estresse cortisol em 43%”, revela.

Melhor ainda! A pesquisadora destaca estudos de acompanhamento dos pacientes que mostram a longa duração dos benefícios, que permanecem por até dois anos após a aplicação. “Sugere-se que o tapping afete o centro de estresse no cérebro (a amígdala cerebral) e o centro de memória (o hipocampo). Ambos desempenham um papel no processo de tomada de decisão, quando alguém decide se algo é uma ameaça”, observa Peta.

De acordo com a psicóloga, um estudo recente, que examinou crianças da escola primária submetidas ao tapping, revelou que a técnica ajuda na manutenção do foco e da concentração.

Procedimento simples

A professora explica que, normalmente, o tapping deve ser utilizado quando a pessoa tem uma sensação de estresse que gostaria de reduzir, o que é realizado em rodadas de cinco passos. O primeiro deles seria classificar o nível de estresse em uma escala de zero a dez, na qual dez é o nível mais alto e zero representaria calma completa. Peta esclarece que essa não é uma classificação precisa e tem por objetivo apenas fazer com que o paciente procure avaliar os próprios sentimentos.

Para reforçar essa avaliação, a psicóloga sugere que os sentimentos sejam expressados em voz alta, o que pode ser feito com uma frase do tipo “Mesmo que eu me sinta muito estressado no momento por causa de (diz o motivo do estresse), eu aceito que é assim que me sinto”. Em seguida, repetindo a motivação do estresse a cada toque, aplica-se a pressão com os dedos nos diferentes pontos de acupuntura, fazendo uma nova avaliação ao final. Caso a pontuação permaneça alta, repete-se a rodada quantas vezes forem necessárias, até que se note alguma mudança.

“Se você pensar em outros sentimentos enquanto está batendo, você pode mudar as palavras. Por exemplo, você pode começar a se sentir estressado com uma tarefa de trabalho, mas, se depois de algumas rodadas você percebe que realmente se sente sobrecarregado e desejando ter apoio, você pode alterar as palavras para refletir isso e dizer ‘Sinto-me sobrecarregado’”, observa.

Segundo Peta, como mecanismo subjacente, o toque nos pontos de acupuntura envia sinais de ativação ou desativação para áreas do cérebro que foram despertadas pelas frases. “O tapping gera esses sinais elétricos através do princípio da ‘transdução mecanosensorial’. Como uma intervenção breve que a pessoa pode aplicar em si mesma, o tapping agora é respaldado por mais de 100 ensaios clínicos randomizados, que é a forma mais aceita de pesquisa. Parece altamente eficaz e rápido em comparação com os tratamentos convencionais. Portanto, embora possa parecer um pouco estranho, o tapping é equivalente ou comparável às abordagens padrão-ouro , como a da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC). Vale a pena tentar, da próxima vez que você se sentir estressado”, recomenda a pesquisadora.


Colabore com a produção do Comunidade Ativa fazendo uma doação com qualquer valor.
Pelo Pix, use a chave 43440241000164 ou clique no botão abaixo para contribuir usando cartão ou boleto.


 

Uma dica

Para mais informações sobre os temas abordados nessa matéria, acesse os links disponíveis ao longo do texto.  Uma dica: os artigos fora da página do Comunidade Ativa que não estiverem em português podem ser traduzidos automaticamente pelo seu navegador. Pra isso, basta clicar com o botão direito em qualquer ponto do texto a ser traduzido e escolher a opção “Traduzir para o português”.