Você sabe a origem do Halloween?

Mesmo sem chegar perto da importância que tem nos Estados Unidos, o Halloween tem marcado presença cada vez maior entre os brasileiros. Como um tipo de Carnaval macabro, a celebração atrai especialmente as crianças, que costumam se divertir bastante com as fantasias de monstros e de bruxas que são a marca registrada da festa. Mas, não são só os pequenos que gostam dessa diversão. Jovens e adultos também já se renderam à versão brasileira do Dia das Bruxas e todos os anos adoram se fantasiar para comemorá-lo.

Sendo assim, não custa nada entender um pouco sobre o real significado desta celebração, que já reservou data nos calendários daqui.

Festival de Samhain

Como tantas outras festividades ocidentais — festas juninas e Natal, por exemplo —, o Halloween também tem suas origens em uma celebração que antecede o cristianismo. Há cerca de 2.500 anos, os povos celtas que viviam onde hoje é o Reino Unido e a Irlanda celebravam o Festival de Samhain, que era uma espécie de Réveillon tenebroso, comemorado para marcar o fim do verão e o encerramento do ano no calendário que eles usavam.

Para os celtas, o Samhain era o dia quando os mortos retornavam para visitar os vivos (Imagem: Freepik)

No dia que coincide com o 1º de novembro do nosso calendário, acreditava-se que no Samhain o mundo das divindades se tornasse visível para os homens, permitindo que elas pregassem peças nos mortais, dando início a  um tempo repleto de perigos, carregado de medo e de episódios sobrenaturais. Outras versões da história contam que o Samhain também seria o Festival de Retorno da Morte, que estabelecia o tempo mais apropriado para que as pessoas que morreram durante o ano retornassem às suas casas.

Celebrando o fim do ano velho e o início do ano novo, os celtas também celebravam a morte e o renascimento da terra, o que os fazia pensar na mortalidade humana e na perspectiva de renascimento. Era com esse espírito que, para espantar as ameaças do inverno que começava e as maldades que se aproximavam, eles realizam sacrifícios, acendiam fogueiras no topo das colinas e usavam máscaras para despistarem os deuses e os fantasmas.

Por isso, as bruxas, os duendes, as fadas, os demônios e monstros foram associados ao que acabou se tornando o Dia das Bruxas da atualidade.

O Dia de Todos os Santos

Foi no século 7 que o papa Bonifácio IV estabeleceu o dia 13 de maio como sendo o Dia de Todos os Santos. Um século mais tarde, a celebração de Todos os Santos foi pelo papa Gregório III movida para o dia 1º de novembro, coincidindo com o Samhain. É quase certo que esta coincidência tenha sido proposital e teve o intuito de suprimir a festival celta.

As fantasias do Samhain serviam para disfarçar os vivos e despistar os fantasmas e as divindades maldosas (Imagem: Freepik)

Porém, considerando que, na maioria das vezes, a tradição popular é muito mais forte do que os decretos, a Festival dos Mortos apenas migrou para o Dia 31 de outubro, na véspera do Dia de Todos os Santos. Daí a origem do nome “Halloween”, que nada mais é do que a contração das palavras do inglês “hallow” e “eve”, que singificam “sagrado” e “véspera”.

Ou seja, Halloween nada mais seria do que a festa de véspera do Dia de Todos os Santos, que é sagrado.

Chegada aos Estados Unidos

Da mesma forma como aconteceu com outras celebrações antigas, o Halloween foi proibido pela Igreja Católica. Contudo, como a proibição também não foi suficiente para extinguir as outras festas, que apenas foram combinadas com as tradições cristãs, ao longo dos séculos, muitas das características do Samhain foram mantidas marcando presença nos festivais de plantio e de colheita que foram mantidos na Europa e mais tarde transferidos para a América do Norte.

No século 19, quando ocorreu uma maciça migração de irlandeses para os Estados Unidos, estas tradições viajaram junto com eles e encontrou terreno já preparado para cair no gosto popular. Fez isso com tanta força que, ao longo do século 20, se tornou uma das principais celebrações para os americanos e se tornou um símbolo das tradições daquele país.

Só para termos uma ideia sobre o quanto o Halloween é importante, estima-se que em 2019 a celebração tenha movimentado um total de aproximadamente US$ 90 bilhões. Estima-se que somente no dia da festa cada um dos  mais de 170 milhões de americanos de todas as idades que celebram o Halloween, gastem em torno de US$ 80, ou aproximadamente R$ 450.

Não é à toa que o Dia das Bruxas vem se propagando pelo mundo todo, inclusive aqui no Brasil.

Numa tentativa de valorizar o folclore nacional, em 2003, um projeto lei tentou estabelecer o dia 31 de outubro como sendo o Dia do Saci (Imagem: Wikimedia/Selo dos Correios de 1974)
Dia do Saci

Numa tentativa de defender as tradições brasileiras, em 2013 o então deputado federal Aldo Rebelo propôs por meio deu Projeto de Lei (PL) propôs a criação do Dia do Saci, que também seria celebrado no dia 31 de outubro. Porém, o PL acabou arquivado.

Mesmo assim, não são poucos os ativistas culturais que, no lugar de abrir espaço para tradições importadas, a data deveria servir para celebrar um dos principais personagens do nosso folclore e, assim, valorizar as nossas próprias tradições nacionais.

 

Uma dica

Para mais informações sobre os temas abordados nessa matéria, acesse os links disponíveis ao longo do texto. Eles remetem às fontes utilizadas aqui. 

Uma dica: os artigos fora da página do Comunidade Ativa que não estiverem em português podem ser traduzidos automaticamente pelo navegador pelo seu navegador. Pra isso, basta clicar com o botão direito em qualquer ponto do texto a ser traduzido e escolher a opção “Traduzir para o português”.