12 dicas de consumo consciente que podem melhorar o seu Natal

Em plena Black Friday e a menos de um mês do Natal, tem muita gente que parece ouvir a ordem de um Ciro Bottini interior e que só quer saber de comprar, comprar e comprar. Porém, em vez disso, podemos aproveitar esta época para adotar e para propagar estratégias de consumo que sejam mais apropriadas para o bolso e para o meio ambiente.

Visto na foto ao lado da esposa Aline Alencar, Ciro Bottini, o apresentador do canal de vendas Shoptime, consagrou o bordão “compre, compre, compre” (Foto: Reprodução do Instagram de Bottini)

Confira a seguir 12 dicas do Comunidade Ativa, a maior parte baseada em orientações do Instituto Akatu, que poderão tornar as suas compras de Natal um bom exercício para o consumo consciente.

1. Lembre-se do que significa o Natal

Pelo ponto de vista cristão, o Natal é a celebração do nascimento de Jesus. Porém, independente do aspecto religioso, a data acabou criando a oportunidade para uma grande festa de confraternização entre as pessoas, que encontram nela a ocasião para demonstrarem o quanto se importam umas com as outras.

É fato que presentear se tornou a maneira mais comum de mostrar o afeto existente nas relações ou, muitas vezes, para significar a importância ainda que formal que alguém representa. Porém, pra isso, a materialização deste afeto ou dessa importância em um presente pode ocorrer de maneira mais sutil e menos onerosa. Pode ser por meio do compartilhamento de um texto ou de uma música, de um trabalho manual ou de objetos simples, que, mais do que uma utilidade, contenham o recado de carinho e de atenção que, afinal, não pode ser esquecido nesse período do ano.

2. Melhor acertar do que surpreender

É verdade que a surpresa de ganhar como presente algo que é desejado é uma experiência muito agradável. Por outro lado, quando o presente é daqueles inúteis ou oposto ao que a pessoa gostaria de receber o efeito acaba sendo o contrário.

Então, para evitar o erro, é melhor perguntar antes o que a pessoa quer ganhar. Porém, se para você a surpresa é algo indispensável, reflita bem antes de comprar. Avalie como cuidado os gostos e interesses de quem você vai presentear.

3. Não ceda aos impulsos

Um cartão de crédito e o desejo desenfreado de comprar são dois grandes inimigos do consumo consciente. Portanto, controle o impulso consumista que é estimulado pelas propagandas e pelo clima desta época do ano.

Em vez de comprar vários presentes, um para cada pessoa, aderir ao “amigo oculto” é uma excelente alternativa (Foto: Freepik)

O melhor é fazer um planejamento cuidadoso do que será comprado, considerando, principalmente, um limite de gastos. Nesse sentido, a ideia do “amigo oculto”, por exemplo, é uma boa alternativa para grandes famílias ou grupos de amigos ou de empresas. Em vez de sair comprando impulsivamente presentes pra todo mundo você terá que se preocupar com a compra de poucos presentes para os seus amigos secretos.

4. Procure por presentes alternativos

Trabalhos artesanais produzidos por pessoas que vivem da atividade ou comprados de cooperativas ou entidades do terceiro setor ou ainda diretamente de comunidades de artesãos têm duplo significado. Em primeiro lugar, será uma fonte de recurso para quem produz e que não tem acesso facilitado ao mercado. Segundo, demonstrará para a pessoa presenteada que você teve o cuidado de buscar algo que fosse especial e diferenciado.

Mas, atenção: na hora de comprar, garanta que o produto seja feito com matéria-prima de fonte sustentável e, se possível, dê preferência para aqueles que são produzidos a partir de material reciclado.

5. Tenha atenção para a responsabilidade socioambiental

Atualmente, grande parte das empresas de todos os segmentos mantém a atenção voltada para programas socioambientais, que buscam preservar e fortalecer comunidades e preservar e recuperar o meio ambiente. Dê preferência para os produtos que elas fabricam.

6. Cuidado com os juros das prestações e com o valor do frete

Pensando no seu bolso, avalie bem as compras a prazo, verifique os juros que podem estar embutidos nas prestações e garanta que elas estejam de acordo com a sua capacidade de pagamento. Lembre-se de que uma dívida contraída em um breve impulso pode trazer consequências por todo o ano novo.

Também, não deixe de observar o valor do frete e valorize a próxima dica.

7. Prefira o comércio do seu bairro

De fato, as compras pela internet facilitam bastante a vida. Porém, neste tempo difícil que estamos vivendo, dar a preferência ao comércio do seu bairro ajudará a fortalecer o empresariado local e, em contrapartida, deixará você livre do pagamento do frete.

Contudo, é claro, só faça isso se os preços locais forem compensadores ou compatíveis com a concorrência mais distante.

8. Atenção para as embalagens

Produtos com excesso de embalagens e embrulhos de presente exagerados, com fitas e muito plástico, só servem para prejudicar o meio ambiente e não agregam nenhum valor para o presenteado. Portanto, preste atenção nos materiais das embalagens, dando preferência àquelas que forem recicladas ou que posam ser reutilizadas.

Embalagens com material reciclado são mais bonitas e mais apropriadas ao consumidor que é consciente das suas responsabilidades (Foto: Freepik)

Ah! No final da festa, não deixe de separar todas as embalagens para dar a elas a destinação correta, que deve ser para a reciclagem ou para o reuso.

9. Faça uma decoração consciente

Uma árvore de Natal viva, plantada em vaso, é bem mais bonita do que as de plástico. Procure escolher espécies que não cresçam muito e que possam ser reutilizadas ano após ano ou replantadas em outro local, se crescerem além do que o ambiente comporta.

Reutilize os enfeites dos anos anteriores e, se houver necessidade, use a sua criatividade para recuperar os que estragarem e incrementar os já existentes. Se for comprar alguma coisa, prefira os enfeites artesanais, produzidos com matéria-prima sustentável ou reciclada. Na iluminação, utilize lâmpadas de baixo consumo e apague-as antes de dormir.

No final da festa, guarde tudo com cuidado para poder utilizar novamente no ano que vem.

10. Apoie o Natal de quem não tem muito ou não tem nada
Um grupo de voluntários está recolhendo na Amoran doações para crianças carentes de Nova Lima e do Vale do Mucuri (Foto: Divulgação)

O Natal é uma boa época para você doar tudo aquilo que já não usa e que pode ter utilidade para outras pessoas. Também é uma ótima ocasião para participar de campanhas de doações — como a dos voluntários que estão fazendo o Natal de crianças de Nova Lima e do Vale do Mucuri — e para apoiar as entidades que acolhem os menos favorecidos.

Com certeza, com esta prática você se sentirá bem melhor por saber que, com a sua ajuda, o Natal de alguém pode se tornar mais feliz.

11. Consciência na ceia

Em uma época quando muitas pessoas sequer têm o que comer, o exagero e o desperdício são atitudes que nada têm a ver com o espírito de Natal. Para evitar isso, procure planejar bem a ceia, para que ela seja farta, como pede a ocasião, mas para que não extrapole o limite do aceitável.

Procure por produtos cultivados na região mais próxima de onde você mora e dê preferência ao pequeno produtor. Com isso, é possível que você não só pague menos pelos produtos, que terão frete mais baixo, como também encontrará mercadoria mais fresca e saudável.

Esqueça definitivamente os pratos, talheres e os copos descartáveis, que só servirão para entulhar o aterro sanitário. Opte por tudo aquilo que é de uso continuado — porcelana, metais e vidro —  e, caso queira ficar livre da trabalheira de lavar depois, alugue. Fica bem mais em conta do que muita gente imagina e é bem mais elegante do que o uso de descartáveis.

12. Propague o consumo consciente

Que dar um presente que vai durar para sempre? Por meio das suas atitudes, procure propagar a ideia do consumo consciente. Faça isso como um gesto de amor pelas pessoas e pelo planeta onde vivemos.