11 dicas de marketing para empreendedores e para pequenos negócios

Nos últimos dois anos, empreender passou a ser a porta de saída da crise para grande parte a população brasileira, que foi pega no contrapé pela pandemia. De fato, antes mesmo de a Covid-19 mudar as nossas vidas, não eram poucas as pessoas que estavam deixando o trabalho assalariado para se lançarem aos desafios do empreendedorismo, o que as obrigou a buscar conhecimentos em áreas que talvez antes não faziam parte de suas rotinas.

Uma delas é a do marketing, que engloba uma série de conhecimentos específicos e que estão em constante transformação. Pensando em dar um direcionamento para os novos empreendedores, listamos a seguir nove dicas que vão ajudar bastante a estabelecer boas estratégias.

1. Desenvolva a sua marca

Uma das palavras mágicas do marketing é o branding, que, em inglês, não significa nada mais do que marca. Porém, o termo branding  diz respeito ao tratamento que é dado à uma marca desde a sua concepção até a visibilidade que é dada a ela.

É importante entender que, mesmo que você venda um ótimo produto ou preste um serviço excepcional, se o seu negócio não tiver uma identidade clara, haverá um grande dificuldade para se comunicar com o seu cliente. Portanto, pense em um nome adequado, que seja de fácil assimilação e que esteja em compasso com o momento atual. Em seguida, pense também nas cores que sejam apropriadas para o seu negócio. Por exemplo, se você trabalha com roupas para bebês, as cores leves podem ser mais convenientes do que cores muito intensas ou muito fechadas.

Feito isso, parta para a criação de um logotipo que inspire a vontade de consumir o seu produto ou serviço. Esse é um passo muito importante. Por isso, em vez de se arriscar com receitas caseiras, vale a pena investir um pouco na contratação de um profissional da área. Lembre-se de que  grandes marcas — como Mercedes, McDonald’s e WhatsApp — são facilmente identificadas pelo logotipo que utilizam, que automaticamente carrega para a mente do consumidor todos os conceitos que a empresa oferta ao mercado.

2. Use a sua marca em tudo

Tudo o que esteja relacionado ao seu negócio deve conter as suas cores e o seu logotipo. Embalagens, fachada da empresa, veículos, assinaturas de email, redes sociais e tudo mais que seja visto pelo público deve levar a sua marca.

Mas faça isso de maneira saudável, tendo em mente que você está lidando com um bem precioso que deve dar visibilidade positiva ao seu negócio.

3. Entenda tudo sobre o seu negócio

Quando você procura uma lavanderia, por exemplo, você espera que a pessoa que está lhe atendendo saiba os segredos para tirar quaisquer manchas das suas roupas sem que elas fiquem descoloridas. É fato que, em determinadas situações, o atendente pode lhe dizer que isso não é possível, mas você deseja que essa resposta seja dada com clareza e segurança por alguém que entenda sobre o que está falando.

Pois essa é a expectativa do seu cliente. Portanto, mais do que fazer bem o que você faz, procure se cercar de informações sobre tudo o que gira em torno  do seu negócio. Assim, você terá capacidade de aprimorar o que faz e e falar com propriedade sobre a sua atividade.

4. Entenda o seu cliente

É importante que você tenha um segmento de clientes bem definido, o que ajuda a atuar de maneira assertiva sobre ele. Portanto, procure definir o seu público alvo da forma mais clara possível.

Pra isso, você deve entender a região onde estão os seus clientes, a faixa etária que eles ocupam, o tipo de produtos ou de serviços que estão habituados a consumir e a forma que geralmente eles utilizam para comprar ou contratar. Esses conhecimentos lhe ajudarão a entender a  sua chamada persona, que no marketing representa aquele cliente mais ou menos padronizado com o qual você vai se comunicar.

5. Recorra às redes sociais

Mais do que vitrines para seus produtos ou serviços e para os valores da sua empresa, o Instagram e o Facebook — sim, o Facebook continua tendo espaço — oferecem ferramentas muito eficientes para que você consiga segmentar a aproximação com a sua clientela, que pode ser selecionada por idade, sexo, localização, padrões de interesses e hábitos de consumo, por exemplo. Por isso, vale muito a pena recorrer às redes sociais.

Pra isso, além de ter um perfil bem trabalhado, que dê visibilidade positiva à sua marca, é interessante também investir algum recurso na promoção de postagens e de anúncios. É claro que quanto mais dinheiro você investir, mais resultado terá. Porém, o ideal é iniciar com cautela, com investimentos que não pesem tanto no seu orçamento. Assim, você começará a formar a sua própria opinião sobre o retorno que as mídias sociais oferecem.

 

6. Porém, não deixe de investir na publicidade local

Deixar de buscar a visibilidade para a clientela de vizinhança, aquela mais próxima ao empreendimento, é um erro comum entre os pequenos empreendedores que focam exclusivamente nas redes sociais. É importante considerar que, muitas vezes, aquele cliente próximo pode não ser alcançado pelo algoritmo das redes e, assim, ficar sem saber que a sua empresa está ali, pertinho, oferecendo aquilo que ele deseja comprar ou contratar.

Por meio de anúncios em mídias impressas locais esse problema pode ser contornado.

7. Mas não se esqueça do seu site

Com o crescimento das redes sociais há quem tenha deixado de lado o site, o que é um erro terrível. Afinal, são duas mídias distintas e ambas merecem igual atenção.

Tenha em mente que o site é necessário como meio para facilitar o acesso do seu cliente às mais variadas informações sobre a sua empresa. Por isso, ele deve ser bem elaborado e amigável e deve ser completo, o que não significa que deva ser complexo. Pelo contrário, o site deve ser de fácil navegação e objetivo na apresentação dos conteúdos.

8. Valorize o SEO

SEO é a sigla para  Search Engine Optimization, conceito em inglês que, traduzindo, significa mecanismo de otimização de busca. É o famoso “robozinho” que o Google utiliza para definir um ranking de exposição de resultados de busca.

Por meio do uso de algoritmos, o Google consegue selecionar resultados por relevância, o que é muito baseado na procura por palavras-chave. Ou seja, quanto mais o algoritmo detecta a presença de uma palavra-chave em um site melhor será a posição dele no resultado de buscas.

Claro, os sites que aparecem nas primeiras posições são mais visíveis e têm mais chances de atrair a atenção do cliente. Por isso, é importante entender como isso funciona e buscar meio para que o seu site esteja nas melhores posições.

9. Descubra mais ferramentas do Google

O Google tem ferramentas que ajudam bastante a promover os empreendimentos. Uma delas é o Google Meu Negócio, que dá destaque para empresas da localidade em que a pessoa que está fazendo uma pesquisa se encontra.

Outra ferramenta a ser considerada é o Google Adwords, que nada mais é do a ferramenta de anúncios no Google. É verdade que ela custa mais caro do que outras alternativas na internet e talvez não seja apropriada para o seu orçamento inicial. Mas, vale a pena pensar em um investimento futuro nesse recurso.

10. Recorra à velha e boa referência

Aquela propaganda boca a boca dos nossos avós continua sendo válida. Mas, ela só acontece se você atender bem o seu cliente e entregar a ele produtos ou serviços com boa qualidade.

Em parte das vezes, o próprio cliente se encarrega de dar boas referências sobre o seu negócio. Porém, é interessante estimulá-lo a fazer isso. Um programa de indicações, por exemplo, pode incentivar a sua clientela a falar do seu negócio para mais pessoas, atraindo mais clientes para você.

11. Procure renovar seus conhecimentos

Como foi dito logo no início do post, o marketing está sempre em transformação. Assim, mesmo que velhas técnicas permaneçam válidas, sempre pode surgir novas possibilidades. Por isso, é importante permanecer buscando por elas.

 

 


Colabore com a produção do Comunidade Ativa fazendo uma doação com qualquer valor.
Pelo Pix, use a chave 43440241000164 ou clique no botão abaixo para contribuir usando cartão ou boleto.