Seis dicas pra facilitar a vida de quem está buscando selecionar um novo funcionário

Com a oferta de mão-de-obra em alta, selecionar o candidato ideal para uma vaga de emprego se tornou uma tarefa que exige uma atenção muito especial. Afinal, diante de um grande volume de currículos, de pessoas que apresentam características das mais variadas, o empregador pode se sentir confuso e, na ansiedade por preencher logo a vaga, acabar contratando alguém que não atenda às reais necessidades para a função.

Confira a seguir seis dicas que vão facilitar a seleção de candidatos, aumentando as chances de levar à melhor contratação.

1. Defina bem as necessidades

Uma das maiores falhas na seleção de candidatos a emprego está na indefinição de um perfil objetivo para a vaga. A ideia de que alguém possa ser contratado para cumprir várias funções abre a possibilidade da contratação de uma pessoa que acabe não cumprindo bem nenhuma delas, o que precisa ser evitado.

Portanto, o primeiro passo deve ser exatamente a definição precisa do perfil da vaga, buscando detalhá-la ao máximo, de acordo com as funções que o novo contratado terá que cumprir.

2. Estabeleça o perfil do candidato ideal

Considerando que as necessidades da organização estão bem definidas, é claro, fica muito mais fácil definir o perfil do candidato. Nesse aspecto, um pouco de imaginação é necessário para estabelecer quais seriam os atributos que o candidato ideal deve ter.

De fato, encontrar o candidato perfeito, que atenda em 100% o perfil idealizado, é bastante improvável. Contudo, o modelo criado servirá como parâmetro para analisar os currículos que serão recebidos e, posteriormente, para a avaliação na entrevista.

Há um recurso adotado pelos departamentos de RH de grandes organizações que pode ser utilizado nessa definição. Por ele, são definidos os conhecimentos técnicos, as habilidades e o tipo de comportamento do candidato ideal, que, posteriormente, serão comparados com as características dos candidatos reais.

3. Crie um bom anúncio

Cumprida as duas etapas anteriores, é hora de divulgar a vaga. De fato, o tradicional “Precisa-se” tem a objetividade necessária para o enunciado da divulgação. Porém, quanto mais completo for o anúncio, melhores serão as chances de alcançar os candidatos que mais se aproximam daquele perfil ideal.

Além disso, também é importante explicar qual o perfil da empresa, inclusive utilizando conteúdos de texto e de imagens que demonstrem a cultura da organização. A divulgação bem feita da vaga aumenta as chances de receber bons currículos e diminuiu o tempo de busca pelo melhor candidato.

4. Filtre os currículos

Um bom anúncio deve fazer com que um grande volume de currículos chegue até a organização, o que exigirá uma boa triagem, necessária para eliminar aqueles que não se enquadram nos requisitos estabelecidos. Por meio de uma comparação preliminar com o modelo de candidato ideal é possível alinhar quais daqueles que se apresentaram que mais se aproximam do perfil traçado.

Quando bem cumprida, essa etapa facilita bastante a seleção e evita que entrevistas desnecessárias sejam realizadas.

5. Aplique testes objetivos

Os testes para seleção de pessoal costumam ser elaborados com base em técnicas específicas de RH, o que não impede que você desenvolva testes mais simples e objetivos que possam ser aplicados no seu próprio processo. Então, após a triagem dos currículos, aqueles candidatos que foram pré-selecionados podem ser submetidos a testes que sejam capazes de filtrar ainda mais o processo, diminuindo o número de entrevistas.

Os testes devem avaliar aquelas características que são consideradas ideais para quem for preencher a vaga. Eles também funcionam como um filtro adicional muito importante na seleção.

6. Parta para a entrevista

Por fim, você pode seguir para entrevistar os candidatos que foram aprovados nas etapas anteriores. De fato, esse é o momento de decisão, que indicará qual ou quais candidatos realmente cumprem as exigências da vaga.

No momento da entrevista, é preciso considerar que essa é uma etapa que pode causar alguma ansiedade no candidato, o que acaba mascarando alguns dos bons atributos que ele possa apresenar. Portanto, para que a conversa seja conduzida de maneira produtiva, é importante seguir alguns passos.

Primeiro, antes de receber o candidato, leia o currículo e os testes com atenção, e prepare o questionário, evitando as perguntas desnecessárias ou repetitivas. No momento de recebe-lo, procure deixá-lo à vontade, mas sem permitir que a situação caminhe para uma descontração excessiva. Afinal, aquela será uma entrevista de emprego, que exige seriedade.

Ao iniciar a conversa, antes das perguntas, de maneira breve, fale sobre a organização e sobre o que ela espera do novo colaborador e parta desse ponto para o questionário, que deve ser realizado com objetividade.

Ao final da entrevista, é possível revelar a sua impressão preliminar, o que deve ser feito de forma sincera, porém cuidadosa. É preciso ter em mente a importância de o candidato ter uma experiência saudável com sua empresa, sendo ou não selecionado.

Além disso, caso venha a ser selecionado, a entrevista representará a primeira oportunidade de contato humanizado entre o profissional e a organização, o que oferecerá a ele uma imagem importante sobre a empresa. Portanto, o mais interessante é que esta imagem seja bastante amigável e nada intimidadora.

Depois de cumpridas todas essas etapas, por fim, você terá informações suficiente para definir entre os candidatos que chegaram à entrevista qual mais se aproxima daquele perfil ideal e que merece ser contratado.

 


Colabore com a produção do Comunidade Ativa fazendo uma doação com qualquer valor.
Pelo Pix, use a chave 43440241000164 ou clique no botão abaixo para contribuir usando cartão ou boleto.